Página inicial
Arquidiocese de Campinas
Você está em: Página inicial » Notícias

Notícias

21 de Fevereiro de 2017

Paróquia Sant'Ana: 103 anos de presença cristã em Vinhedo

A Paróquia de Sant’Ana foi criada em 22 de fevereiro de 1914, no Distrito de Paz de Rocinha, pertencente à cidade de Jundiaí, interior de São Paulo, quando por um ato certamente iluminado pelo Espírito Santo, o Bispo Dom Nery assinou o decreto que dava origem à mesma. A singela igreja localizava-se no centro do pequeno povoado, que surgiu próximo à bela Fazenda Cachoeira, da linha férrea e às margens da Estrada da Boiada, rota que ligava os bandeirantes e comerciantes do interior do Brasil à Cidade de São Paulo e ao porto de Santos.

Atualmente, por esta estrada passam modernos automóveis, em contraste com as caravanas de charretes que cruzavam a região na época. A capela, dedicada a Santa Ana teve sua inspiração nos imigrantes italianos que vieram para a região, por conta das atrocidades da Primeira Guerra Mundial que assolavam a Europa.

Como na Itália a tradição reza que a matriarca da família tem grande importância, a igreja foi dedicada à avó de Jesus, a exemplo de várias paróquias deste país europeu que a veneram como padroeira e protetora.
A construção da primeira capela ocorreu no ano de 1898. Com isso, as atividades do Distrito concentraram-se em seu entorno, e assim, prosperava cada vez mais.

Em 1948 o jovem padre campineiro Favorino Carlos Marrone foi destinado a prestar seus serviços como pároco na pequena vila. Este foi o começo de uma bela história: com o crescimento populacional e econômico do Distrito, começou a ser cogitada a emancipação, pois os moradores do local sentiam-se incomodados com o descaso do governo de Jundiaí e entendiam que poderiam “caminhar com as próprias pernas”.

Em 24 de outubro do mesmo ano o movimento deu resultado e o padre foi um dos motivadores mais importantes do processo. O próprio sacerdote revelou que as reuniões aconteciam na sacristia da antiga igreja com os principais líderes de rocinha. A 2 de abril de 1949 a cidade elegia seu primeiro prefeito, Dr. Abrahão Aun, e sob a bênção de Favorino, a cidade recebia o nome de Vinhedo, em decorrência da grande produção de uvas e vinhos, o que conferiu à cidade o título de “terra da uva” posteriormente.

Ainda no mesmo ano, o padre iniciou a obra mais importante da cidade menina: a construção da nova Igreja Matriz. A história nos conta que, quando crianças, Favorino e um amigo conversavam e, enquanto o primeiro contava que seguiria o sacerdócio quando adulto, o outro dizia querer ser engenheiro civil. Ficou combinado que o amigo seria o responsável pela construção de sua igreja. Dito e feito! O projeto foi da autoria deste engenheiro e a obra terminou apenas em 1959, mobilizando praticamente todos os aproximadamente 7 mil habitantes da cidade, que contribuíram desde a doação do terreno até a edificação do telhado. Os mais antigos contam que, na época, o padre e seu amigo eram considerados insanos por projetarem uma igreja de proporções tão grandes, sem nenhum pilar de sustentação para a nave central e de arquitetura bastante moderna. Atualmente, sabemos que os dois foram visionários, pois a igreja se destaca imponente e tem capacidade para mais de 1 mil fiéis. Ainda no período de finalização da obra, a velha matriz foi demolida e atualmente o local onde era construída é a Praça Sant’Ana.

Além do levantamento da Matriz, o padre foi responsável pela criação da Santa Casa de Saúde, ainda hoje o único hospital da cidade, do Lar da Caridade de Vinhedo, que cuida de idosos desamparados, da sede dos Vicentinos, do Coral Santa Cecília, patrimônio imaterial de Vinhedo, ajudou na instalação do Mosteiro de São Bento, criação da tradicional Festa da Uva, sem contar as milhares de celebrações eucarísticas, batismos, catequeses, crismas e casamentos que presidiu. Também foi personagem muito influente no cenário político e social da cidade, onde residiu por 60 anos, e destes, 45 anos foram dedicados exclusivamente ao serviço de pároco. Em 19 de setembro de 1989 foi condecorado pelo papa João Paulo II com o título de monsenhor pelos inúmeros serviços prestados à igreja e à comunidade. O “Santo de Vinhedo”, como era conhecido, faleceu em 23 de agosto de 2009 e até hoje não há família vinhedense que não tenha pelo menos uma história sem ele.

Em 1993, devido às limitações que o Monsenhor contraiu pela idade avançada, foi nomeado pároco o padre João Passadori, que permaneceu no cargo por 17 anos. Ele foi responsável por muitas mudanças, e a mais importante foi a reforma da Igreja Matriz, em que foram trocados os pisos, as portas ganharam belos vitrais e o presbitério foi quase inteiramente revitalizado. Depois dele, foi designado o Padre Clodoaldo Rogério Verdin, responsável por mudanças significativas nas pastorais, movimentos e dinâmica da Liturgia, além de ter reformado as comunidades que compõe a Paróquia. Desde agosto de 2014 o Padre Julio Cesar Calusni é quem guia espiritualmente e comanda a administração da Paróquia.

Atualmente a Paróquia Sant’Ana conta com 5 comunidades, diversas pastorais, a saber, Acólitos e Coroinhas, Catequese (de adultos e de crianças), Crisma, Enfermos, além de iniciativas como o Terço dos Homens, a Legião de Maria, Grupo de Oração, Leitura Orante e o Grupo de Jovens Rede de Pedro.

Em 22 de fevereiro de 2014, a Paróquia Sant’Ana de Vinhedo completou 100 anos de existência e bênçãos!

Lista de Párocos da Paróquia Sant’Ana:
1914 – Pe. Basílio Pires
1918 – Pe. Alberto Motz
1920 – Pe. Isidoro Ermeti
1923 – Pe. Francisco Duenas
1926 – Pe. Manoel Alves
1928 – Pe. Christovam Porphirio De Almeida Alves
1929 – Pe. Pedro Ciardella
1930 – Pe. Vicente Rizzo
1931 – Pe. Henrique De Moraes Mattos
1932 – Pe. Dario Wanderley de Lima
1933 – Pe. Luiz Fernandes de Abreu
1934 – Pe. José Pabon
1935 – Pe. Cassimiro Gomes de Abreu
1935 – Pe. Luiz Saes
1948 – Pe. Favorino Carlos Marrone
1993 – Pe. João Aparecido Passadori
2010 – Pe. Clodoaldo Rogério Verdin
2014 – Pe. Julio Cesar Calusni

Postado por: Paroquia Santana
21 de Fevereiro de 2017

Vagas abertas para cantores(as) no Grupo Paroquial de Canto

O Grupo Paroquial de Canto está com vagas abertas para cantoras e cantores que queiram participar das Solenidades de nossa Paróquia servindo à Sagrada Liturgia.

Requisitos:
- Participar da Igreja Católica Apostólica Romana;
- Ter noções básicas de canto;
- Estar disponível para ensaios e Missas em dias festivos;
- Compromisso e pontualidade.

Lembramos que esta é uma atividade voluntária, onde os dons que Deus concedeu serão colocados a serviço da comunidade!

Para maiores informações, entre em contato pelo número (11) 9 7405 7473 (Celular e WhatsApp).

Postado por: Paroquia Santana
6 de Fevereiro de 2017

Programação: Visita da Imagem Peregrina de N. Sra. Aparecida

Nesta semana a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida estará em nossa Paróquia, por ocasião da comemoração dos 300 anos de sua aparição nas águas do Rio Paraíba do Sul.

Simbolicamente, a Virgem Maria vai à casa de sua mãe, Sant'Ana, fazendo dessa visita uma ocasião ainda mais especial para nós.

Na quinta-feira, às 19h30, haverá uma Missa para receber a imagem na Igreja Matriz.

Na sexta-feira, também por ocasião da passagem da imagem peregrina em nossa Paróquia, serão realizados 7 Terços, a cada 1h30, iniciando-se às 9h e terminando às 18h, quando a imagem será levada para Valinhos. 

HORÁRIOS DE REZA DO TERÇO
09h00
10h30
12h00
13h30
15h00
16h30
18h00

Postado por: Paroquia Santana
31 de Janeiro de 2017

Centenário do Monsenhor Favorino (1917-2017): Contribua!

Conforme foi informado nas últimas Missas e Celebrações, 2017 é o ano do Centenário de nascimento do Monsenhor Favorino Carlos Marrone e das aparições de Nossa Senhora de Fátima

Por isso, a Paróquia Sant'Ana está preparando muitos eventos!

No folheto da Missa do último final de semana (29/01 e 30/01) foi informado que há um espaço virtual disponível para quem quiser contribuir com as comemorações do Centenário.

Acesse: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd4edXoXk-HOVTa7PnuLjUXD8cNkQC6iuGBXia22gOTOE_7SQ/viewform?c=0&w=1 e entre em contato diretamente com a Comissão Organizadora.
Postado por: Paroquia Santana
31 de Janeiro de 2017

lnscrições abertas: Catequese e Crisma

Confira abaixo o informativo da Pastoral da Catequese:

 
Informamos, também, que as inscrições para a Crisma estão abertas. Para se inscrever basta comparecer à Missa do domingo, às 19h (Matriz), e conversar diretamente com os coordenadores da Pastoral.
Postado por: Paroquia Santana
6 de Janeiro de 2017

Horários: Epifania do Senhor

Solenidade da Epifania do Senhor (07/01 e 08/01)

Sábado (07/01): Santa Missa, na Igreja Matriz, às 18h.
Domingo (08/01): Santa Missa, na Igreja Matriz, às 10h e às 19h.

Não haverá Missa e/ou Celebração nas Igrejas São Cristóvão e São Judas Tadeu.
Postado por: Paroquia Santana
19 de Dezembro de 2016

Programação de Natal

Preparamos uma programação especial para que você e sua família participem das Celebrações da Véspera do Natal e do Natal do Senhor!
Postado por: Paroquia Santana
6 de Dezembro de 2016

Nota à Imprensa: Centenário do Monsenhor Favorino Carlos Marrone

NOTA À IMPRENSA – 06/12/2016

Centenário do Nascimento do Monsenhor
Favorino Carlos Marrone

 
Paróquia Sant’Ana, Vinhedo/SP
 
A comunidade da Paróquia Sant’Ana em Vinhedo celebrará o centenário de nascimento do Monsenhor Favorino Carlos Marrone no dia 4 de maio de 2017.
Monsenhor Favorino Carlos Marrone foi o pároco da Igreja Matriz de Sant’Ana durante 44 anos: de 1948, quando foi nomeado por Dom Paulo de Tarso Campos, na época em que Vinhedo ainda era Distrito de Rocinha e pertencia a Jundiaí, até 1992 quando se tornou pároco emérito da Arquidiocese de Campinas.

Ao longo de toda a sua vida, Monsenhor Favorino deixou um grande legado por onde passou: exerceu papel fundamental para a emancipação da cidade de Vinhedo, idealizou e construiu a Igreja Matriz de Sant’Ana, organizou as primeiras Festas da Uva, patrocinou a construção do Lar da Caridade e da Santa Casa de Vinhedo, dentre tantas outras realizações. Antes de chegar em Vinhedo, Monsenhor Favorino passou também por Capivari, Amparo e Campinas, onde foi professor no Seminário Diocesano, capelão do Patronato São Francisco e cônego honorário do Cabido Metropolitano de Campinas.

“Monsenhor fez grandes obras por onde passou e por isso precisamos fazer a sua memória para que ela sirva de inspiração para nós nos dias de hoje e também para as próximas gerações”, afirmou o padre Julio Cesar Calusni, atual pároco da Paróquia Matriz de Sant’Ana, que organizou uma comissão que ficará encarregada dos preparativos das homenagens que serão feitas em memória ao Monsenhor Favorino.

“Em maio de 2017 também será celebrado o centenário da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima e muitas pessoas lembram da devoção que o Monsenhor Favorino tinha por Nossa Senhora, Monsenhor nasceu fazendo a “novena” para a 1ª Aparição de Nossa Senhora de Fátima! Portanto será um mês de celebrações festivas e por isso precisamos nos organizar com antecedência”, declarou o padre Julio.
A comissão encarregada de preparar as homenagens solicita às pessoas que tenham fotos, vídeos, objetos e documentos relacionados ao Monsenhor Favorino guardados em casa que acessem a página na internet (https://goo.gl/forms/UouMcIQ8HmFuqUqq2)
para preencher um formulário. Com base nesses dados a comissão organizadora entrará em contato para coletar as informações que ajudem a rememorar a história de vida do Monsenhor Favorino.
 
Postado por: Paroquia Santana
12 de Outubro de 2016

1ª Caminhada Solidária de São Judas

Está se aproximando a 1ª Caminhada Solidária de São Judas!

Este evento será parte das festividades de São Judas Tadeu, padroeiro da Comunidade dedicada ao santo, na Vila Cascais. Os alimentos arrecadados serão destinados ao Lar da Caridade de Vinhedo, que cuida atualmente de aproximadamente 30 idosos.

Confira mais informações clicando neste link: https://www.facebook.com/paroquiasantanavinhedo/photos/a.158298084362320.1073741828.158294264362702/533929346799190/?type=3&theater
Postado por: Paroquia Santana
27 de Junho de 2016

Conheça o ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Ícone é o nome dado a uma pintura que, não sendo apenas um quadro ou uma obra de arte, é carregada de significados sagrados e leva seu observador à oração. O Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é formado por quatro figuras: Nossa Senhora, o Menino Jesus e dois arcanjos. A aparição dos arcanjos com uma lança e a cruz mostram ao Menino Jesus os instrumentos de sua Paixão. Assustado corre aos braços da Mãe. Por causa do movimento brusco desamarra a sandália. Maria o acolhe com ternura e lhe transmite segurança. O olhar de Nossa Senhora não se dirige ao Menino, mas a nós. Porém, sua mão direita nos aponta Jesus, o Perpétuo Socorro. As mãos de Jesus estão nas mãos de Maria. Gesto de confiança do Filho que se apóia na Mãe. Na riqueza de seus símbolos, o ícone bizantino tem ainda muito a revelar.

Veja a explicação:

Véu e manto de Maria na cor azul
A cor azul representa o céu e a verdade. O manto e o véu azul em escuro representam a virgindade Nossa Senhora. Este era o traje que identificava as virgens em Israel.

A túnica da Virgem Maria em vermelho escuro
A túnica vermelha Representa a maternidade. As mães da Palestina usavam uma túnica assim para identifica-las como mães. Com isso, o ícone está ensinando que Maria é "Virgem e Mãe". Virgem, por causa do véu azul; Mãe, por causa da túnica vermelha. A túnica em vermelho representa ainda a Paixão de Jesus. A mãe sente e sofre a paixão com seu filho, mas socorre-o em suas angustias. Assim também ela nos socorre.

A estrela no topo do véu
A estrela no topo do véu de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro ensina que Maria é a "Estrela do Mar". O "mar" representa os gentios, ou seja, todos os "não judeus" que se tornaram cristãos. O número deles é tão grande, que é como se formassem um mar. Maria, então, é a estrela que guia os cristãos nas águas do mar da vida, apontando o caminho para seu filho Jesus.

A túnica verde do Menino Jesus
Na história do Cristianismo, o verde é a cor da vida. A túnica verde do Menino Jesus no ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro representa a vitória da vida sobre a morte.

O manto amarelo dourado do Menino Jesus
O amarelo é a cor da luz e da divindade, como o ouro. O manto amarelo dourado do Menino Jesus representa sua divindade.

A expressão do Menino Jesus
O Menino Jesus está olhando para os arcanjos Gabriel (à direita) e Miguel (à esquerda). Estes, lhe apresentam os instrumentos da paixão. Por isso, ele se assusta e busca "socorro" em sua mãe. Esta busca de socorro é representada pelas mãos do Menino Jesus apoiando-se na mão direita de Maria.

As mãos de Nossa Senhora 
As mãos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ao mesmo tempo que dão apoio e segurança ao filho, apontam para ele. Esta representação nos ensina que Maria não quer atenção para si, mas sim para Jesus. Maria sempre leva as pessoas até Jesus. Por isso, toda devoção mariana é cristocêntrica.

As mãos do Menino Jesus
As mãos do Menino Jesus voltadas para baixo sobre as mãos de Maria significam que ele concede à sua Mãe o poder de dispensar graças a todos aqueles que pedirem a ela. Assim como ela protegeu o menino Jesus na terra, agora no céu ela protege e concede graças a todos os que se abrigam sob a sua proteção de mãe.

A expressão de Nossa Senhora
Ao socorrer seu filho, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro não olha para ele, mas sim para nós, que olhamos para a imagem. Isto tem um significado profundo: Maria olha para nós e aponta com as duas mãos para Jesus, como que dizendo: "Olhem para Jesus e sigam seus ensinamentos".

O semblante de Nossa Senhora
O semblante de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é sereno e pacífico, ensinando que, quem está com Jesus, tem paz. Este semblante também revela a santidade de Maria.

Os olhos de Nossa Senhora 
Os olhos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro são grandes e olham para quem olha para ela, ensinando que Maria olha para nós e tem o olhar atento para nossas necessidades e problemas. Podemos confiar em seu Perpétuo Socorro, como o próprio Menino Jesus o faz.

A boca de Nossa Senhora
A boca pequena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro simboliza uma característica importante de Maria mencionada nos Evangelhos "Ela guardava tudo em seu coração". Ela é a Virgem do Silêncio, ela fala pouco, mas aponta para Jesus.

O Arcanjo Gabriel
No canto superior direito de quem olha para o quadro vê-se a imagem de São Gabriel Arcanjo. Ele veste túnica vermelha representando a paixão de Jesus e suas asas são verdes, representando a vitória da vida sobre a morte. Ele apresenta a cruz e os cravos a Jesus, segurando-os através da túnica, simbolizando que estes objetos são sagrados. Ele anuncia o sofrimento de Cristo, mas também, sua vitória sobre a morte.

O Arcanjo Miguel
No canto superior esquerdo de quem olha para o quadro vê-se a imagem de São Miguel Arcanjo. Também com cores vermelho e verde, ele anuncia a Paixão e a vitória de Cristo sobre a morte. Ele segura a lança, que perfurará o lado de Cristo e a esponja com vinagre, que lhe será dada antes de sua morte. Ele também segura estes objetos através do manto, mostrando que estes objetos são sagrados.

As letras na imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
A Imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem várias letras ou inscrições em Grego. Vamos compreender cada uma delas. No topo da imagem, vemos as letras MP (lado esquerdo) e T" (lado direito). Essas letras são as iniciais em Grego do título "Mãe de Deus", referindo-se a Nossa Senhora. 

O ouro ao fundo
O ouro ao fundo de todo o quadro simboliza o céu, onde Jesus e Maria estão entronizados. O ouro representa também a alegria celeste que espera todos aqueles que recorrerem à Virgem Maria e praticarem aquilo que seu Filho ensinou.

A sandália pendurada no pé direito do Menino Jesus
A sandália pendurada no pé direito do Menino Jesus tem dois significados. O primeiro é que, com o susto do Menino ao ver os Arcanjos anunciando-lhe o sofrimento, ele se volta rapidamente para sua mãe e, assim, uma de suas sandálias fica dependurada. Significa que, diante dos sofrimentos da vida, devemos recorrer apressadamente a Nossa Senhora, pois foi delegado a ela o poder de nos dar "Perpétuo Socorro".O segundo significado é que a sandália pendurada representa todos aqueles que estão vacilando na fé, presos a Jesus por apenas um fio, que é a devoção a Maria. Assim, estes devem fazer como o Menino Jesus: buscar socorro apressadamente em sua mãe.

Trata-se do ícone mais universal de Maria e, no mundo todo, celebramos a memória litúrgica de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro na data de hoje, 27 de junho.
Postado por: Paroquia Santana
Paróquia Sant'Ana 2018. Todos os direitos reservados
Largo Mons. Favorino C. Marrone, 94, Centro, Vinhedo/SP
Fone: 19 3886.1972
Labraro criação de sites em Vinhedo, Valinhos, Campinas e região